10 dicas para startups

Mais de 10 anos trabalhando com design, desenvolvimento, experiência do usuário, alguns projetos internos e várias reuniões com startups em busca de parceiros de desenvolvimento nos fizeram acumular algum conhecimento sobre o assunto.

Como a nossa vontade é compartilhar conhecimento e ter clientes cada vez mais “alfabetizados” digitalmente, segue nossa pequena contribuição para os novos empreendedores. Uma lista baseada nas dúvidas e erros frequentes em startups que observamos durante todos esses anos:

10 dicas para startups agência digital fera

1 – PESQUISE SE EXISTEM SOLUÇÕES OU STARTUPS PARECIDAS

Primeiro pesquise se existem outras startups ou soluções parecidas. É possível disputar com quem já está no mercado há muito mais tempo? Sim, desde que você apresente uma solução melhor em algum aspecto para o usuário, seja em performance, usabilidade ou design. E prepare-se para fazer um bom investimento em marketing.

2 – QUALIDADE DE CÓDIGO É IMPORTANTE

Mais importante do que lançar um aplicativo completo é investir em um código consistente. Mesmo se tratando de um MVP (minimum viable product), ou versão mais simples possível com o mínimo esforço de desenvolvimento, trocas de programador são comuns e qualquer novo desenvolvedor tem que ser capaz de entender e alterar o código ao invés de refazer.

3 – GESTÃO É GESTÃO, SEJA DE BARRACA DE LIMONADA OU DA APPLE

Uma startup não é diferente de qualquer outra empresa. Precisa de receitas, tem despesas, equipamento, infraestrutura, planejamento financeiro e uma certa habilidade em solucionar novas questões que aparecem de surpresa. Portanto, invista um tempinho pesquisando sobre gestão empresarial. Boa parte das novas empresas quebram por erros básicos de gestão. Encare como uma autoescola.

4 – HABILIDADES VARIADAS

Junte pessoas com habilidades diferentes das suas. Os desafios são sempre multidisciplinares e ter duas ou três pessoas pensando um único aspecto do projeto numa equipe reduzida faz a curva de aprendizado ficar mais longa.

5 – NICHOS CONHECIDOS

Procure um nicho de mercado que um dos sócios tenha bom conhecimento ou contatos. É possível ter boas ideias para solucionar problemas totalmente diferente do seu domínio profissional, mas considere duas questões:

  • Se você tem credibilidade é muito mais fácil ser ouvido ao apresentar uma nova ideia. Caso contrário você terá um desafio a mais para superar: criar reputação;

  • Para ganhar relevância no mercado você precisará de muito mais fôlego financeiro até apresentar algum resultado.

6 – ORIGINALIDADE

Cuidado com ideias geniais para nichos inexplorados. Talvez você descubra da pior maneira o motivo de ainda não terem explorado. Tente olhar por vários ângulos antes de investir tempo e dinheiro.

7 – AUTONOMIA E DEDICAÇÃO

  1. ou você tem capacidade para desenhar, desenvolver e lançar seu próprio projeto;
  2. ou tem alguma fonte de financiamento, pessoal ou investidor;
  3. ou seu custo de vida é muito baixo com muito tempo disponível.

Projetos costumam demorar mais do que o planejado e os gastos não acabam no lançamento… até o lucro chegar você não pode contrair mais dívida do que pode honrar.

8 – PRECIFICAÇÃO

Não importa quão incrível é a sua ideia, ela vale o quanto as pessoas querem pagar por ela. Pergunte aos amigos e familiares o que acham da ideia e quanto estariam dispostos a pagar. Se não souberem responder comece com um valor que você tem em mente ou um valor mais alto e vá baixando até eles considerarem razoável.

9 – INVESTIDOR

Avalie bem o momento ou a necessidade de conseguir investimento. Investidores não são como parentes que pagam por trabalhos que você às vezes não realiza e ainda assim te dão presentes no natal.

As exigências são tantas que você vai se perguntar: se já tivesse tudo isso não estaria aqui pedindo dinheiro. Geralmente investimentos são importantes na hora de dar escala ao projeto, aumentar equipe, melhorar infraestrutura, impulsionar. Investidores querem saber se o produto já existe, se você tem capacidade técnica, qual o seu modelo de negócio e em quanto tempo o investimento volta. Isso tudo pra dizer que vai pagar a metade do que você precisa pelo dobro da participação que você ofereceu.

10 – MENTE ABERTA

Toda opinião pode ser relevante. Ouça e avalie, não custa nada. Adapte o projeto se achar necessário, mas em hipótese alguma se feche para novas ideias. É muito comum o apego às próprias ideias não permitir que você enxergue questões óbvias. A capacidade de adaptação é uma ótima característica no início e será muito útil durante toda a vida da empresa. Afinal de contas tecnologias mudam rapidamente e é importante saber se reinventar.

Não faltam boas ideias no mundo, o que falta são condições de executá-las. Projetos simples podem tanto ser muito lucrativos como ideias geniais não saírem do papel. É tudo uma questão de equilíbrio. Tente fazer o melhor com o que tem em mãos e boa sorte!

Se estiver precisando de uma ajuda nesse processo de construção ou consolidação da sua startup, estamos à sua disposição.

Quero que alguém me ligue

Se você gostou deste artigo, assine a newsletter do nosso blog. Você também pode nos encontrar no Facebook da FERA.